Artigo 23: O homem que comia diamantes: a fantasmagoria do arcaico sobre o moderno

RESUMO

O breve artigo trata de uma interpretação de uma alegoria que aparece no romance Vastas emoções e pensamentos imperfeitos ​ do escritor Rubem Fonseca, que se trata do personagem Alcobaça, que sofre de uma “estranha patologia”, a saber, necessidade vital de comer diamantes. Utilizando referências do pensamento crítico brasileiro como Sérgio Buarque de Holanda e Bajonas Brito, no que tange ao signo de adorno e enfeite que se tornou, em certa medida, a recepção da filosofia européia em nossas terras, e sobretudo, elucidando tais temas a partir da ironia em relação à filosofia no conto​ A arte de andar no RiodeJaneiro de Rubem Fonseca em que Augusto, o personagem principal, dialoga com um cachorro como se fosse um professor de filosofia com seus alunos. Esta reflexão procura trilhar caminhos do pensamento crítico brasileiro, que utiliza a via da literatura como recurso dialético interpretativo da experiência histórica brasileira.

Palavras chave: ​ Rubem Fonseca, Sérgio Buarque, Bajonas Brito, Pensamento brasileiro

Download Researchegate
Download Academia.Edu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s